sábado, 19 de novembro de 2011

ARMAS ANTIGAS: GLÁDIO ROMANO


O gládio (gladius em latim e inglês, xiphos em grego) é a espada curta mais típica da Antiguidade Clássica.

gládio grego ou xiphos

O modelo mais antigo foi o xiphos grego, usado pelos hoplitas – guerrreiros da infantaria pesada, que portavam armadura e escudos – na maior parte da Grécia clássica. Era considerada uma arma secundária em relação à lança, para ser usada caso a formação da falange fosse quebrada. Os gregos, os macedônios e os reinos que estes fundaram no Oriente usaram o xiphos até sua conquista pelos romanos. Esses gládios tinham 74 cm de comprimento e pesavam cerca de 1 kg.

gládio espartano ou xiphidion

Os hoplitas espartanos, porém, adotaram a partir do século V a.C. uma variante mais curta do xiphos, que era chamada de xiphidion ("pequeno gládio") e às vezes considerada uma encheiridion ("adaga"). Possivelmente, o tamanho menor do xiphos visava desestimular qualquer ação que pudesse quebrar essa formação, fazendo do gládio uma arma de último recurso, a ser usada de muito perto e apenas para estocar. Estes gládios tinham cerca de 50 cm de comprimento e pesavam cerca de 800 gramas.

gládio celta

Desde 500 a.C., os celtas e celtiberos usavam espadas curtas, de modelo ligeiramente diferente do grego. Estes gládios tinham cerca de 68 cm de comprimento e pesavam perto de 950 gramas.

gládio hispânico

O primeiro gládio romano era semelhante aos gregos e chamado gladius graecus. A partir do século III a.C., os romanos adotaram gládios mais semelhantes aos usados pelos celtiberos com os quais entraram em contato ao conquistar a Hispânia. Esta espada, mais longa e estreita, era chamada gladius hispaniensis ("gládio hispânico") e foi considerada por Políbio boa tanto para acutilar quanto para estocar. Tinha cerca de 69 cm de comprimento e pesava cerca de 900 gramas.

Gladio romano tardio

A partir do século I (o tempo de Augusto, Tibério e Nero), as legiões começaram a adotar um modelo algo mais leve e barato de gládio, mais adequado para estocar, que substituiu inteiramente o tradicional após o século IV d.C. Estes gládios tinham cerca de 68 cm de comprimento e pesavam perto de 800 gramas.

No período romano tardio, Publius Flavius Vegetius Renatus menciona espadas chamadas semispatas (semispathae ou semispathia) e espatas (spathae), que parece considerar como tipos de gládio.

Um legionário romano completamente equipado era armado com um escudo (scutum), várias lanças (pila), uma espada (gladius), provavelmente uma adaga (pugio) e talvez alguns dardos (plumbatae). Normalmente, as lanças seriam atiradas antes de se entrar em contato com o inimigo, quando então o gládio seria desembainhado. O legionário geralmente usava o gládio para estocar, mas todos os tipos de gládios eram também adequados para movimentos de cortar e acutilar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário